Incidente com criança no A Savassi é da Gente marcou a edição do Dia das Mães

Crianças escorregavam de peito aberto correndo risco de sofrerem ferimento grave

Pedaço de vidro oculto sob a água da fonte causou ferimento em menina de seis anos de idade.

Um fluxo bem menor de pessoas na edição do A Savassi é da Gente de hoje. Essa foi a percepção de quem passou pelo local durante a realização do evento. Talvez em virtude de a data coincidir com o Dia das Mães, ou talvez por oferecer opções menos atraentes ao público dessa vez.

A Secretaria de Esportes da PBH organizou para a criançada, futebol de botão e ainda demarcou um pequeno espaço com traves e uma bola para os pequenos brincarem. A cena que roubou a atenção, entretanto, foi a de um pequeno grupo de crianças se divertindo na água que jorrava no chafariz localizado em frente à Elmo, na praça da Savassi.

Assistidos por seus pais, nem estes e nem as crianças podiam imaginar o que estava por vir. Uma garotinha de apenas 6 anos de idade, alheia ao perigo iminente, acabou sofrendo um corte profundo no pé após pisar em um caco de vidro, dentro do chafariz.

Uma moradora de um prédio localizado na praça da Savassi lamentou a  situação da pequena que havia cortado o pé. Segurando um caco de vidro que tirou de dentro da área do chafariz, Melissa Martins, 36 anos, credita a culpa pelo incidente à falta de fiscalização dos bares e boates localizados na rua Pernambuco, no quarteirão entre a praça da Savassi e a rua Fernandes Tourinho. “Os usuários e proprietários desses estabelecimentos não se importam em deixarem a rua limpa. Deixam a praça suja e cheia de garrafas quebradas todos os finais de semana mesmo sabendo que aos domingos as famílias estão vindo pra cá com suas crianças”, reclamou.

Caco de vidro na Savassi

Melissa ajudou a recolher pedaços de vidro quebrado espalhados na praça da Savassi

Indignada com o incidente que vitimou uma pequena e indefesa garotinha que brincava alegremente no chafariz, a empresária Marcela Loureiro segurava na mão o caco de vidro com o qual a menina teria se ferido momentos antes. Para ela, a prefeitura precisa limpar a região onde acontece o evento aos domingos. “A Prefeitura nos convida a virmos para cá com os nossos filhos e não prepara o lugar para que nossos filhos brinquem sem risco. Isso que aconteceu aqui é um absurdo. E olha só quanta garrafa quebrada tem aí pelo chão da praça”, destacou a jovem empresária. De fato, havia pelo menos duas garrafas do tipo long neck quebradas no chão próximo ao chafariz.

Cacos de vidro no chafariz da Praça da Savassi

A empresária Marcela Loureiro recolheu o pedaço de vidro em que uma garotinha de 4 anos de idade cortou o seu pé

Presente no local do evento, o presidente da CDL/BH, Bruno Falci mostrou-se consternado com o incidente. Para ele, uma das iniciativas visando a solução para o problema de garrafas quebradas espalhadas pela praça da Savassi seria a não venda de cervejas do tipo long neck. “Se os comerciantes que vendem hoje a cerveja long neck  trabalharem apenas com a cerveja em lata, já resolveremos boa parte do problema. Por outro lado é uma questão também da qual as pessoas precisam participar da solução, não jogando essas embalagens no chão”, disse Falci.

No mesmo chafariz onde ocorreu o incidente, uma família também se divertia a vontade com suas três filhas pequenas. Vivendo em BH há 19 anos, Evandro Rocha disse que nunca havia levado suas filhas para brincar assim com água antes em Belo Horizonte. Sob sua observação, a esposa e as filhas de Evandro passaram hoje na Savassi, momentos diferentes de sua rotina como moradores do bairro Sion. “Sabíamos que estavam fechando aqui as ruas para lazer e então viemos hoje com nossas filhas que estão se divertindo muito. Essa iniciativa foi muito bacana pois permite que saiamos de casa com nossas filhas para que elas tenham um contato diferente com as coisas da vida como agora estão ali fazendo com a água”, observou.

Lazer com direito a brincar na água. Diversão para crianças e seus pais também

Lazer com direito a brincar na água. Diversão para as crianças e seus pais também

Neste domingo Dia das Mães, a CDL/BH montou uma estrutura para distribuir gratuitamente, pipoca e algodão doce para a criançada e flores para as mamães que circularam pela praça Diogo de Vasconcelos durante o evento A Savassi é da Gente. “O propósito é a gentileza. É proporcionar bem estar para a população, por meio de ações simples, que beneficiam a todos”, afirma Bruno Falci, presidente da entidade.

Considerada uma das regiões mais charmosas e atrativas da cidade, a Savassi reúne lojas de segmentos variados, além de inúmeros bares, restaurantes e cafés. “Intensificar a apropriação do espaço público também aos domingos torna-se mais um atrativo para que as pessoas saiam de casa e desfrutem de tudo que o bairro tem a oferecer”, salienta Falci.

O pres. da CDL/BH Bruno Falci (esq) acompanhado do diretor do Conselho CDL Savassi, Alessandro Runcini

O presidente da CDL/BH Bruno Falci (esq) acompanhado do diretor do Conselho CDL Savassi, Alessandro Runcini

 

Be the first to comment on "Incidente com criança no A Savassi é da Gente marcou a edição do Dia das Mães"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*